Projeto I-Park

Um simples e eficiente monitor de vaga de estacionamento para farmácias e drogarias, com limite de tempo de 15 minutos

VÍDEO:

CONTEÚDO:
OBJETIVOS:
Com base nos programas de aprendizagem de Microprocessadores e Eletrônica, construir um projeto que utilize integre essas disciplinas e traga uma inovação à cidade, aos motoristas e guardas municipais. 
 
HISTÓRIA DO PROJETO:
Primeiramente nós conversamos com o professor Ivan Jorge Chueiri que ministra a PA de Eletrônica I sobre idéias de projeto, e ele nos disse sobre um monitor para vaga de estacionamento de 15 minutos. Gostamos da idéia, pois seria um projeto com potencial para venda mais adiante. O professor Ivan nos disponibilizou também um sensor ultrasom que seria utilizado para o monitoramento, se há ou não carro na vaga, porém na medida em que o tempo ia se esgotando não conseguimos tratar o sinal que o sensor emitia e decidimos utilizar um sensor de luminosidade que supostamente ficaria rente ao solo e se o carro parasse em cima, ele começaria a contar os minutos.
A idéia foi bem aceita pelos integrantes, e sem mais delongas decidiu-se que o projeto seria esse.
Com o intuito de que as vagas de 15 minutos fossem utilizadas corretamente, sem que haja injustiça para com quem precisa realmente utilizar a vaga, pensamos em um modo que o usuário não conseguisse desativar o alarme sonoro, mas que também não fique soando para todo sempre, e utilizamos um push-button, que em tese ficaria em uma caixa que somente guardas de trânsito teriam a chave, e este desativaria o alarme, sendo assim o guarda aplicaria a multa e desativaria o alarme com facilidade.
 
Primeiramente nós conversamos com o professor Ivan Jorge Chueiri que ministra a PA de Eletrônica I sobre idéias de projeto, e ele nos disse sobre um monitor para vaga de estacionamento de 15 minutos. Gostamos da idéia, pois seria um projeto com potencial para venda mais adiante. O professor Ivan nos disponibilizou também um sensor ultrasom que seria utilizado para o monitoramento, se há ou não carro na vaga, porém na medida em que o tempo ia se esgotando não conseguimos tratar o sinal que o sensor emitia e decidimos utilizar um sensor de luminosidade que supostamente ficaria rente ao solo e se o carro parasse em cima, ele começaria a contar os minutos.
A idéia foi bem aceita pelos integrantes, e sem mais delongas decidiu-se que o projeto seria esse.
Com o intuito de que as vagas de 15 minutos fossem utilizadas corretamente, sem que haja injustiça para com quem precisa realmente utilizar a vaga, pensamos em um modo que o usuário não conseguisse desativar o alarme sonoro, mas que também não fique soando para todo sempre, e utilizamos um push-button, que em tese ficaria em uma caixa que somente guardas de trânsito teriam a chave, e este desativaria o alarme, sendo assim o guarda aplicaria a multa e desativaria o alarme com facilidade.
 
 
 
HARDWARE:
Os primeiros passos para o projeto do hardware surgiram após a aprovação do projeto. Teve-se, primeiramente, de se pensar como o sensor ultrasom funcionava, levou-se uma semana em média pois o fabricante do sensor não disponibiliza um datasheet de qualidade e que explicasse exatamente qual o principio de funcionamento.
Sendo assim desenvolvemos uma placa simples para o microcontrolador, que posteriormente foi substituída por outra placa com uma fonte retificadora com ponte de diodo.
Testes foram realizados com o sensor ultrasom e descobrimos como ele funcionava.
O módulo do sensor possui 4 pinos, 2 para alimentação 5vcc e GND, e 2 para controle e resposta do módulo. Quando um dos sensores emitia o som o pino OUT era colocado em HIGH e somente voltava a LOW quando o outro sensor captasse a resposta. E a operação se repete se o pino IN estiver em aberto ou aterrado. O módulo tem alcance máximo de 1,5 metros e mínimo de 20cm.
 
 
SOFTWARE:
Utilizando o Assembly configuramos o timer do 8051 baseado em um cristal de 12mhz, inicialmente precisaríamos de dois timers um para contar os segundos exatos e outro para multiplexar os displays de 7 segmentos a aproximadamente 60hz, porém configuramos um timer apenas para multiplexar os displays, dentro do timer havia um contador(divisor de freqüência) que quando estourava 60 vezes por segundo uma flag era levantada, essa flag era testada na rotina principal e incrementaria o registrador dos segundos apenas se a flag estivesse levantada.
Inicialmente, quando ainda iríamos utilizar o sensor ultrasom, a idéia para tratar a resposta do módulo no 8051 era a seguinte:
Configurar-se-ia um timer para que quando o pino INT1 do AT89S52 captasse um sinal HIGH ativar-se-ia um contador que enquanto o sinal continuasse em HIGH, o contador incrementaria e, com base nos valores calculados no teste do módulo do sensor, o firmware saberia se supostamente haveria um carro na vaga.
A interface do usuário é bastante simplificada. Basicamente o usuário estaria vendo os minutos que já se passaram desde que ele está na vaga, e como já comentador anteriormente, soaria um alarme caso o tempo atingisse o limite. O guarda mais próximo viria, desligaria o alarme através do push-button e aplicaria a multa cabível ao infrator.

MATERIAIS:
Ø  4 diodos 1N4007;

Ø  1 microcontrolador AT89S52;

Ø  CI CD40106

Ø  CI HCF4511;

Ø  Fios de cobre;

Ø  Placa de fibra 10×12;

Ø  2 push-buttons;

Ø  Madeira;

Ø  Capacitor de 2200uF;

Ø  Capacitor de 470uF;

Ø  2 capacitores de 100nF;

Ø  2 Capacitores de 33pF

Ø  Terminal KRE

Ø  3 Resistor de 1K

Ø  1 Cristal Oscilador 12mhz

Ø  2 Displays 7 segmentos;

Ø  Sensor LDR;

Ø  Relê;

Ø  Regulador de tensão 78L05CV

Ø  Terminais Modu

Ø  Terminais de encaixe

Ø  Ribbon cable

Ø  Outros…

CONCLUSÃO:
Pode-se concluir que é possível desenvolver um projeto diferente e inovador utilizando micro processador e sensor como principal ideal.
A idéia inicial, a de confeccionar o sistema utilizando-se de um sensor ultra-som, no qual encontramos alguns obstáculos, ela foi abandonada devido sua dificuldade na implementação com o AT89S52 e as expectativas do projeto se tornar realidade foram diminuindo, mas em conversas entre o grupo resolvemos utilizar o sensor LDR, por se tratar de um sistema mais simples e fácil de manusear, a equipe se empenhou e tornou o objetivo do projeto um ideal.

AUTORES:
– Bruno Henrique Viecelli
– Fábio Eduardo Pereira
– José Roberto Wotecoski

CONTATO:
– bviecelli@gmail.com
– jrwrockstar@gmail.com