B²Dt Guindaste Ii

O projeto B²DT Guindaste II visa demonstrar as funcionalidades de um guindaste eletromagnético atendendo as amplas necessidades do mercado de movimentação de materiais.

VÍDEO:

CONTEÚDO:
Projeto integrado do curso de Engenharia de Computação tem como intuito iniciar o desenvolvimento de projetos, desde a documentação completa, organogramas, cronogramas, apresentações e a conclusão do projeto nas mais corretas formas. Capacitando o aluno a gerenciar um projeto para quando entrar no mercado de trabalho não ter tantas dificuldades em realizar qualquer tipo do mesmo.
O grupo formado para o desenvolvimento do Projeto Integrado do período do curso no ano de 2009 é formado pelos seguintes integrantes: Bruno da Silva Avila, Bruno Benevenuto, Dante Cruz Tezza e Tiago Bucior.
A idéia para o projeto deste semestre foi aprimorar o projeto realizado no semestre passado, no qual a idéia inicial do primeiro projeto era ser uma empilhadeira, algo neste sentido, que movimentasse materiais de um lugar para outro e conversando sobre o assunto chegamos à idéia de um guindaste portuário, que foi a idéia a ser realizada.
A partir disto fizemos um levantamento das implementações a serem realizadas em nosso guindaste e então levamos esta idéia inicial ao professor Gil Marcos Jess, a idéia foi aprovada pelo professor que então nos apoiou dando suas idéias em o que fazer e o que deixar de fazer.
Com as idéias do projeto já decidido, o projeto passou a ser chamado de “B²DT Guindaste II”.

MATERIAIS:
Ao decorrer do projeto, o grupo utilizou-se de alguns equipamentos para auxiliar na criação do projeto em si. Foram esses: osciloscópio, multímetro, fonte de alimentação, protoboard, prensa, ferro de solda, picstart, micro controlador Z8, computador e notebook. Estes equipamentos foram essenciais para desenvolver e concluir nosso projeto.
            Tais equipamentos em exceção do notebook eram de propriedade da PUC e podem ser utilizados por seus alunos gratuitamente. Utilizamos os equipamentos das seguintes maneiras:

Osciloscópio: usamos para exibir os formatos de ondas gerados pelos componentes, para saber se havia alguma falha no circuito ou algum ruído indesejável, os quais podem causar problemas ao longo do projeto.
Multímetro: utilizamos para medir as correntes, tensões, resistências, verificar continuidade ou descontinuidade entre as trilhas do circuito na placa, entre outros.
Fonte de alimentação: esta foi utilizada para alimentar precisamente todo o circuito que produzimos e utilizamos desde as placas até os motores.
Protoboard: para que não houvesse erros depois de prontas as placas, todos os circuitos foram inicialmente montados em protoboard para que pudessem ser testados e/ou corrigidos.
Prensa: utilizada para transferir o circuito impresso em folha de transparência para a placa de cobre na qual foi montado os circuitos.
Ferro de solda: usado para soldar os componentes nas placas.
PICSTART: utilizado para programar os PIC`s (microcontroladores) utilizados em nossas placas. Cada PIC foi programado importando um arquivo específico para cada função. Estes arquivos, fornecidos pelo professor Afonso Ferreira Miguel, estão no formato HEX (.hex) e são importados para dentro do microcontrolador através um programador de PIC.
Computador e notebook: utilizados para criar o software, programar os microcontroladores, desenhar os circuitos, entre outros. Esta ferramenta foi indispensável na maior parte de desenvolvimento do projeto.
Z8: utilizamos o micro controlador Z8 produzido pela Zilog, ele tem a função de receber o dado protocolado testar se houve perda de dados e transmitir o dado limpo. A linguagem em que foi desenvolvido foi C, e por conselho do Professor Afonso, usamos uma técnica de máquina de estados para controle de micro controladores. Dentro do protocolo recebido vem um número chamado LRC, este número é calculado bit a bit do comando no computador transmissor, o Z8 também calcula seu LRC bit a bit do comando recebido, caso os LRC’s sejam iguais significa que não houve interferência ou perda de dados e a validação do protocolo foi efetivada.

CONCLUSÃO:
Conforme o desenvolvimento do projeto passamos a associar com a prática vários conceitos passados em sala de aula, pois o conceito passa apenas uma noção básica sobre o assunto, já na prática podemos confirmar o conhecimento adquirido com a teoria do mesmo. Na prática o que às vezes parece ser simples nem sempre é, tivemos que tomar muito cuidado com tudo, com as possíveis interferências durante a realização de qualquer etapa, enfim tomar cuidado e aprender com a prática algo que antes nem imaginássemos que fosse de certo jeito.
Durante todo o projeto contamos com a ajuda direta dos Professores Gil Marcos Jess e Afonso Ferreira Miguel, que nos apoiaram, nos incentivarão e principalmente nos ajudaram durante esses seis meses de desenvolvimento e sempre estiveram dispostos a tirar nossas dúvidas. Os dois Professores sempre tiveram a parte de todos os acontecimentos durante o projeto, tenham sido eles bons ou ruins, sempre nos orientando a qual decisão mais viável deveria tomar para obter êxito em certa etapa e em conseqüência na conclusão do projeto. 
O trabalho em grupo foi de suma importância, pois quando montamos o grupo e dividimos as tarefas sabíamos que em certos momentos para avançarmos dependeríamos da responsabilidade de cada membro do grupo com as tarefas, já que para realizar outra etapa dependíamos de algumas etapas precedentes. Ficamos muito felizes e honrados pela conclusão do nosso segundo projeto com êxito.

AUTORES:
– Bruno Avila
– Bruno Benevenuto
– Dante Tezza
– Tiago Bucior

CONTATO:
– tiagobucior@hotmail.com
– dantetezza@gmail.com

IMAGENS: